Importância das pesquisas de opinião para as campanhas políticas.

O planejamento talvez seja a parte mais importante em campanhas políticas, pois é quando todo o projeto é montado. Dentro dessa etapa há um processo responsável, muitas vezes, por estruturar todo um trabalho: as pesquisas de opinião. Nenhuma candidatura grande em termos de recursos (e muitas das menores) toma um direcionamento sem ter uma inteligência amparada nos resultados de pesquisas.

O próprio planejamento é constituído, em grande parte, por pesquisas de opinião, entre elas as eleitorais, demográficas e de comportamento político.

A formação da imagem de um candidato e suas estratégias eleitorais possuirão mais força se a campanha tiver um banco de informações sobre quem mais interessa para o político: o eleitorado.

Pesquisas de opinião na pré-campanha

A opinião pública é algo que possui muita força no âmbito político. O comportamento dos eleitores dita tendências e os rumos de uma campanha. É o termômetro popular que, por muitas vezes, viabiliza — ou não — uma candidatura.

Não só a escolha do candidato que concorrerá, mas também o vice, suplentes, coligações, instituições e empresas ligadas à campanha. Por exemplo, uma pesquisa realizada em uma pequena cidade aponta que o candidato X possui mais força entre o empresariado local e menos popularidade entre o público de baixa renda.

A importância dessa pesquisa na pré-campanha é que seu resultado poderá guiar a candidatura a realizar coligações com partidos mais identificados com a faixa mais pobre financeiramente da população; fazer com o que o candidato se relacione mais diretamente com instituições mais próximas desse público; ou até mesmo escolher um vice popular entre essa camada do eleitorado.

Construção da imagem do candidato…

Nessas pesquisas pré-campanha é perfeitamente possível traçar o perfil da campanha como um todo. As informações coletadas são relevantes para que o candidato saiba quais são seus pontos fortes (os que devem ser explorados) e suas fraquezas (que devem ser eliminadas ou minimizadas), bem como as virtudes e pontos fracos dos concorrentes, fazendo disso uma oportunidade para fortalecer sua candidatura.

A demanda do eleitorado pode delimitar como um candidato se comunicará, a identidade visual da candidatura, o tema da campanha e das propagandas. Basta lembrarmos do caso do então candidato à presidência Luís Inácio Lula da Silva em 2002 — foi notável a mudança tanto no discurso quanto na postura do petista.

As pesquisas durante as campanhas políticas…

Enquanto uma eleição acontece, a importância das pesquisas não diminui. Sua utilidade adquire nova forma, dessa vez ela servirá a campanha como ferramenta de monitoramento das ações e diagnóstico da disputa eleitoral.

Aqui cabe destacar a influência das pesquisas de opinião encomendadas pelos grupos de mídia e expostos em seus programas, jornais e sites. É notório o impacto que ela pode causar na opinião pública e nos próprios comitês de campanha.

Vale ressaltar as pesquisas feitas ou encomendadas pelos próprios partidos ou assessorias para monitorar o efeito das propagandas, ações e discursos de seus candidatos. Elas não são expostas na mídia, mas possuem suma importância para incorporar a inteligência das campanhas.

Definição de estratégias…

A elaboração do projeto de campanha e das estratégias eleitorais depende muito dos resultados das pesquisas, tanto as que antecedem quanto as que ocorrem durante uma eleição.

Imagine um candidato à reeleição que é duramente acusado e atacado de corrupção por seus principais concorrentes em um debate na TV. A notícia se espalha por telejornais e com ainda muito mais força na internet. Sua equipe pode até preparar um plano prévio para conter possíveis crises, mas tais ações só serão efetivas se contarem com um respaldo popular transmitido por meio das pesquisas.

A elaboração de estratégias parte de uma combinação entre os princípios do candidato/partido, do perfil dos concorrentes, de uma análise de ambiente sobre o local da eleição e, principalmente, da opinião pública.

Para utilizar as pesquisas de opinião a favor do candidato, é preciso valorizar cada resultado obtido nesses levantamentos, ouvindo as pessoas e conhecendo suas reais demandas.

Muitas vezes o posicionamento de um político é moldado pela opinião pública e não por aquilo que ele está transmitindo; o resultado de uma eleição origina de tendências no comportamento eleitoral; e cabe à assessoria de campanha trabalhar os valores que o candidato expõe e que são percebidos pelos eleitores.

A percepção do público é um dos principais fatores para se construir uma campanha. Agora você acha possível perceber a importância das pesquisas de opinião? Deixe seu comentário e aproveite para conhecer e curtir a nossa página no Facebook!

Sem títuloJOE

Anúncios

Marketing político eleitoral: invista na inovação!

Quando falamos de inovação em campanhas eleitorais, queremos propor uma abertura na visão de coordenadores e políticos sobre como suas estratégias são pensadas. Os tempos são outros, as pessoas consomem informações na web conectadas em seus computadores, notebooks, tablets e smartphones. A pergunta que fica é a seguinte: será que o marketing político eleitoral tradicional está indo ao encontro das demandas dos eleitores? O que você tem feito para inovar em suas campanhas?

O comportamento eleitoral mudou e, para isso, vamos falar um pouco sobre estratégias inovadoras que você deve investir e acreditar para destacar suas campanhas. Veja:

Conteúdo responsivo

O eleitor pesquisa e consome informação por diversas telas. Logo, todo conteúdo disposto na web deve ser adaptável para todos os dispositivos móveis. Imagine a frustração de um eleitor que pode estar em um transporte público voltando do trabalho, mas não consegue ler direito um texto no blog da campanha em seu smartphone.

Mais pessoas estão conectadas por dispositivos móveis. Você deve pensar na formatação de um site ou blog que facilite a usabilidade, como tamanhos maiores de fontes, botões que não sejam pequenos para que usuários não toquem sem querer ou imagens que se adaptam as dimensões de qualquer tela.

Marketing de conteúdo

As pessoas estão dando mais importância para blogs e perfis em mídias sociais que oferecem conteúdos de qualidade, informações realmente valiosas. Empresas de todo o mundo apostam nessa estratégia porque ela estabelece um elo com os consumidores que, por sua vez, depositam confiança e credibilidade. Os visitantes são leais com quem posta informações úteis e que agreguem valor às suas vidas.

Se pensarmos que muitos eleitores consideram política um tema chato, se destacar nesse cenário oferecendo um conteúdo que interesse é uma grande oportunidade para angariar possíveis votos. Que tal tentar com um blog onde sejam postados artigos sobre temas relacionados à eleição, mas sem ter propaganda ou falar diretamente do candidato?

Marketing político eleitoral nas redes sociais

O diferencial das mídias sociais é a quebra da barreira da comunicação unilateral das propagandas na TV para uma conversa, uma troca de informações e experiências diretamente com os seguidores. A palavra-chave desse processo é a humanização.

Use as redes sociais de modo que o público veja seu candidato como uma outra pessoa, que até pode se comunicar de modo mais informal, e não como uma organização ou uma empresa, com uma linguagem mais corporativa. Proponha debates, responda os comentários, participe de grupos e fóruns de debate, faça vídeos ou poste fotos da rotina não só da campanha. Dê a oportunidade de os eleitores vivenciarem o dia a dia do político como se estivessem acompanhando a dos seus ídolos, artistas e pessoas famosas.

Design thinking

Esse talvez seja o processo mais completo para que uma ideia inovadora obtenha sucesso. Um projeto ou uma campanha pautada no design thinking vai desde a aproximação do problema, por meio do entendimento sob diversos pontos de vista, até a etapa da execução das ideias a partir das informações pesquisadas e ideias geradas. É um sistema voltado para a resolução das necessidades de um público — de forma aprimorada e adquirindo conhecimento.

De acordo com o livro Design Thinking, o processo ocorre em quatro estágios: imersão, análise, ideação e prototipagem (execução para validar as sugestões levantadas no processo anterior). Em suma, é uma forma de embasar e qualificar qualquer projeto inovador, otimizando seus resultados. Confira este post no portal do Sebrae para ver como esse sistema funciona na prática.

Isso poderá ser muito útil na formulação do projeto de campanha e da linha de comunicação do candidato. Assim, você poderá criar conceitos que vão ao encontro dos hábitos e desejos dos eleitores.

Inovação no marketing político eleitoral não é só criar estratégias novas e modernas. É um princípio que parte da adequação e evolução de técnicas que precisam se adaptar a uma nova realidade. A decisão de voto não é muito diferente de um processo de compra. Portanto, se as empresas investem em inovação em seus métodos de abordagem e relacionamento com o cliente, por que sua campanha política não deveria ser assim?

Então, você acredita que a busca por estratégias inovadoras poderá ser um diferencial competitivo para as suas estratégias de marketing político eleitoral? Deixe sua opinião nos comentários! Não guarde essa informação só pra você compartilhe com seus amigos e familiares essa informação pode ajudar alguém a ganhar a eleição.

Sem títuloJOE

Por que investir no vídeo marketing para divulgação online!

Investir em vídeo marketing em uma campanha política, quando é benfeito, é apostar em uma ação bem-sucedida para fixar uma mensagem na mente das pessoas. E por que podemos afirmar isso? Provavelmente se você lembrar das 5 propagandas mais marcantes da sua vida, pelo menos uma delas foi um comercial de TV. Isso está relacionado com o poder de atração e engajamento que filmes curtos, principalmente na internet, possuem para promover algo ou alguém.

Se candidatos aparecem no horário eleitoral gratuito da TV — muitos deles mal produzidos e com pequeno impacto junto ao eleitorado, aproveitar do poder de alcance da internet para entregar algo de qualidade deveria ser prioridade em qualquer campanha. Entenda mais sobre por que investir no vídeo marketing para divulgação online!

A força do vídeo marketing

Os dados a seguir mostram o porquê candidatos e equipes de campanha devem olhar com mais carinho o uso de vídeos em uma estratégia de marketing político digital:

Dados da comScore mostram que no Brasil, em dezembro de 2014, 65,5 milhões de pessoas viram ao menos um vídeo online. Um número equivalente a 86% dos usuários de internet no país;

Segundo o YouTube, são mais de 1 bilhão de usuários mensais. A plataforma é o segundo maior motor de busca do mundo;

Já segundo a Ooyala, em um ano, entre 2014 e 2015, o consumo de vídeos por dispositivos móveis cresceu 100%;

Podemos citar o crescimento notório de outras plataformas de distribuição de vídeos online, como o Netflix (séries e filmes) e o Periscope (rede social de compartilhamento via streaming) para justificar a força dessa estratégia.

Vídeos geram mais engajamento

De acordo com o Viver de Blog, a procura por resultados em vídeos tem uma taxa de cliques 41% maior que a pesquisa por textos. Isso reforça como as pessoas esperam solucionar uma dúvida ou resolver um problema desse modo. Na política isso não é diferente, pois sabe-se que a população, de modo geral, não é profundamente interessada no assunto. Educar o público sobre o tema, convidá-lo para trocar ideias ou promover debates são possíveis táticas para serem usadas em uma estratégia de vídeo marketing.

Aproximação do candidato com o público

Permita a abertura para comentários dos usuários, bem como monitorá-los, pois dali podem surgir ideias ou dúvidas que servirão de temas para seus próximos filmes. Logo, responda as dúvidas das pessoas em seus vídeos ou fale sobre um tema que está sendo bastante comentado no período da campanha. São formas de estreitar a relação com o público e humanizar a sua mensagem, saindo do estereótipo malvisto pela população do que é exibido na televisão.

O fato de opinar sobre um assunto polêmico pode ser benéfico no sentido de estimular uma maior participação dos usuários. Um exemplo é a Fan Page do Dep. Federal Jair Bolsonaro (PP), que recentemente postou um vídeo com a opinião do parlamentar sobre a migração de refugiados de países que enfrentam guerras civis para o Brasil. A postagem conta com milhares de comentários – entre favoráveis e contras – e compartilhamentos.

Strorytellings podem ajudar

São vídeos que contam histórias relevantes ligadas a determinado assunto. Há duas características que devem ser prioritariamente abordadas em uma campanha política: promover ideias e valores do(a) candidato(a) e proporcionar algum tipo de emoção no público (orgulho, alegria, indignação, comprometimento etc.). Os temas desse roteiro podem ser a vida do político, o seu posicionamento em relação a um projeto levantado por si mesmo ou por um concorrente, bem como qualquer outra coisa que atraia a atenção do público.

Animações aumentam o engajamento

A aplicação de gráficos ou desenhos em um vídeo é importante para auxiliar o candidato a fixar uma informação mais técnica, especialmente as que envolvem números, na cabeça do eleitor. Não deixa de ser uma maneira clara e inovadora de reforçar uma mensagem, dando um toque mais moderno para as suas publicações.

O tempo a seu favor

Comece veiculando vídeos mais curtos, de dois a três minutos, geralmente, para explicar rapidamente um projeto ou responder poucas perguntas dos eleitores — são os que costumam gerar um maior número de visualizações e compartilhamentos. Para temas mais complexos, que necessitam ser detalhados, ou debates, trabalhe com um tempo maior, podendo ser 15, 30 ou até 60 minutos. Candidatos com pouco espaço na mídia tradicional podem se beneficiar da liberdade propiciada pela internet.

Está convencido de que o vídeo marketing poderá trazer bons resultados para sua campanha? Tem alguma sugestão ou dúvida para tirar? Deixe seu comentário! Não guarde essa informação só pra você compartilhe com seus amigos e familiares,essa dica pode ajudar alguém a ganhar essa eleição.

Sem títuloJOE

Webinars como estratégia de marketing eleitoral.

Definir a melhor estratégia de marketing eleitoral na internet não é uma tarefa simples, visto que há diversas possibilidades, entre elas o e-mail marketing, redes sociais, aplicativos e vídeo marketing. Esse último item, em especial, tem uma certa vantagem em relação às demais opções: vídeos são extremamente populares — o YouTube é uma prova viva disso. Logo, se seu candidato precisa de uma tática que envolva a reprodução de vídeos, onde ele tenha mais tempo para falar e que permita a interação direta com sua audiência, o nosso conselho é que você aplique os webinars em sua campanha.

Continue acompanhando este post para saber qual sua importância em uma campanha política, como pode trazer bons resultados e algumas dicas para fazer um bom webinar!

O que é um webinar?

Essa palavra surgiu da abreviação da expressão “web-based seminar”. Para o português podemos traduzir como seminário online. São transmissões de vídeo ao vivo, via streaming, para uma audiência ilimitada ou direcionada para um público convidado ou cadastrado em alguma plataforma/formulário. Vale ressaltar que essas transmissões ficam gravadas no servidor usado e podem ser acessadas futuramente pelos usuários.

O que difere os webinars dos vídeos comuns é que eles são mais densos em seu conteúdo. Eles geralmente duram entre 40 minutos e 1 hora. O objetivo é um abordar um determinado tema de modo mais completo, onde um candidato, por exemplo, possa fazer toda uma explicação mais detalhada — muito útil quando envolve assuntos de difícil compreensão para o público.

O legal dessa tática é que quando a transmissão é feita ao vivo pode contar com chats abertos, ou seja, as pessoas podem enviar perguntas para serem respondidas a qualquer momento.

Webinars no marketing digital

As empresas do mundo corporativo costumam utilizar essa tática para fazer a demonstração de algum produto, serviço ou software, abordar um tema relacionado à sua área de atuação ou realizar entrevistas e para o político isso também pode ser muito positivo. Os objetivos também variam, como atrair visitantes comuns para se tornarem oportunidades de negócio, educar o mercado e manter uma relação próxima com seus clientes (fidelização).

Webinars como estratégia de marketing eleitoral
Do seu uso comum no marketing digital é possível tirar algumas utilidades dos webinars para uma campanha política. Você pode criar extensões do programa do candidato na televisão (se ele tiver), elaborar debates com outros líderes partidários ou com os próprios eleitores pelo chat, explicar projetos da candidatura, opinar sobre algum tema envolvendo o cenário político da campanha ou qualquer outro formato que vise a aproximação com o público — a criatividade é o que delimita a escolha.

Ganhe a confiança da audiência

Como o que está em jogo são os votos dos eleitores, você deve atentar seu candidato sobre o fato dele ter de gerar credibilidade. Para isso, não basta apenas um discurso bem postado e um conteúdo interessante, é preciso ter cuidado com questões mais técnicas, como cenário, iluminação, áudio e qualidade da conexão. Afinal, o vídeo está concorrendo com vídeos de canais populares no YouTube, de blogs com grande audiência e com seus próprios concorrentes.

Utilize as melhores ferramentas

Há várias plataformas no mercado digital para a transmissão de webinars, desde as gratuitas até as mais completas e pagas. Para quem não pretende gastar um centavo sequer ou não tem muitos recursos disponíveis, uma dica é usar o Hangouts do Google + (é preciso ter um perfil na rede social), que é integrado ao YouTube, porém apresenta algumas instabilidades.

Existem também os players pagos, com maior qualidade de transmissão, possibilidade de criar chats privados (o que diminui a chance de discussões paralelas entre os espectadores) e com formulários de cadastro integrados — caso você queira construir um mailing. Consulte mais informações sobre oEventials, GoToWebinar, Adobe Connect e Webex.

Mais tempo para expor suas ideias

Para candidatos com pouco tempo no horário eleitoral gratuito na TV, os webinars são ótimas soluções para apresentar seus projetos com mais calma. Aproveite da liberdade de poder se expressar por mais tempo para formar um vínculo com a audiência, conquistar eleitores e criar argumentos para gerar mais defensores da sua candidatura.

O uso de webinars como estratégia de marketing eleitoral é uma forma eficiente para estender as possibilidades de contato e relação com os eleitores. Seu candidato tem mais tempo, texto e alcance do que teria com qualquer outro meio off-line. Portanto, convença-o de usar tanto no período de pré-campanha, durante e após as eleições, pois é uma maneira de mantê-lo sempre em evidência!

Então, você gostou da ideia de usar webinars como estratégia de marketing eleitoral? Deixe sua opinião nos comentários. E compartilhe com seus amigos e familiares essa informação pode ajudar alguém a ganhar a eleição.

Sem títuloJOE

Como pensar em ações de campanha política no Google?

O Google é a principal ferramenta de busca do mundo. Com mais de 70 bilhões de acessos diários, o site tornou-se um verdadeiro guru para as pessoas. Dúvidas das mais diversas são solucionadas a partir de pesquisas simples e gratuitas. Basta ter uma conexão com a internet e um computador para consultar o oráculo.

Sendo assim, como usar todo esse potencial do site em função de sua campanha política? A resposta você encontra neste artigo! Prepare-se também para conferir dicas e sugestões para usar o Google e executar ações de campanha política!

Como funcionam as buscas?

Antes de mais nada é importante você saber como o Google faz para organizar suas buscas. Existe um critério usado pelos profissionais da empresa para colocar nos primeiros lugares as páginas mais úteis. Esse critério é o conteúdo relevante. O Google mede a relevância do conteúdo dos sites através de seu algoritmo, programado para identificar páginas com conteúdo duplicado e que não oferecem uma experiência de navegação satisfatória para o usuário.

O que isso significa?

Significa que para você conseguir ocupar as primeiras posições nas páginas de busca do Google é necessário apresentar conteúdo relevante e original no seu site, pois a empresa premia sites que oferecem material que tenha valor para o internauta.

Por que ocupar as primeiras posições nas buscas do Google?

Em uma campanha política em ambiente digital, é importante conseguir visibilidade. De nada adianta ter um site que não recebe visitas ou recebe um número quase insignificante delas.

Sendo assim, estar bem posicionado nas pesquisas do Google garante tráfego para o seu site. Quando alguém fizer uma busca, procurando por algo que você oferece, caso seu site tenha conteúdo original e de qualidade, o Google dará prioridade à sua página nos resultados das buscas.

O site que fica na primeira posição de uma pesquisa recebe cerca 34% dos cliques. Já o segundo recebe cerca de 16% e esse número vai caindo progressivamente.

Há alguma técnica para melhorar o posicionamento?

Sim. Existe um conjunto de técnicas chamadas SEO (Search Engine Optimization), elaboradas para atuar na estrutura de um site com o objetivo de fazê-lo aparecer mais bem posicionado nos motores de busca.

Com essas técnicas, como a escolha de palavras-chave adequadas ao seu texto, alguns elementos essenciais para o algoritmo do Google são otimizados visando aumentar a indexação natural do seu site. Saiba mais sobre o assunto e aplique as técnicas na sua página.

Campanha política através do Google: uma dica excelente!

Mais do que um site que recebe muitos acessos, o Google é também uma ferramenta útil para construir uma grande divulgação na internet. Sendo assim, trabalhe sua imagem através do site e garanta visibilidade.

Uma dica relevante é considerar o Inbound Marketing como um recurso para auxiliar na divulgação de uma campanha política. Esse conceito usa o marketing digital com todas as suas possibilidades como base de atuação e pode fazer total diferença na sua projeção em ambiente online.

E então, você já costuma fazer campanhas no Google? Já percebeu os benefícios que isso pode trazer e quer compartilhar alguma dica interessante? Escreva para nós nos comentários e continue acompanhando o nosso blog!

Sem títuloJOE

Como o marketing pode salvar sua campanha depois da reforma eleitoral?

A reforma eleitoral alterou significativamente a maneira de se fazer campanha no Brasil. Se antes uma das críticas mais contundentes era em relação ao financiamento empresarial de campanha, agora, com as mudanças, a tendência é que a disputa fique mais democrática e premie as melhores ideias em detrimento dos maiores recursos.

Entretanto, essa mudança gerou uma necessidade de adaptação por parte dos políticos, já acostumados às antigas regras do jogo. Sendo assim, uma alternativa interessante para divulgar o nome de um candidato é trabalhar com estratégias de marketing de conteúdo. Confira mais a seguir!

Por que o marketing de conteúdo?

A viabilidade de se fazer uma campanha política utilizando o marketing de conteúdo é algo que tem movido investidores dos mais diferentes tipos. Por se tratar de um recurso destinado exclusivamente ao ambiente digital, ele atende plenamente à demanda por ferramentas que ofereçam possibilidades de lucros em redes sociais, blogs e sites de pesquisa como o Google.

Além disso, esse tipo de mecanismo também oferece um diferencial econômico: as campanhas eleitorais costumam exigir um investimento muito inferior em relação às formas de mídia tradicionais, além de permitir controle praticamente em tempo real sobre seus resultados.

Assim, as diferentes opções de divulgação que passam por redes sociais como Facebook, Twitter, LinkedIn, blogs, sites, ferramentas de busca, e-mail marketing, entre outros, estão sendo vistas cada vez mais como ferramentas imprescindíveis para o sucesso de uma divulgação.

Marketing de conteúdo na política? Sim!

Assim, atendendo à demanda de investidores em ambiente on-line e oferecendo excelentes possibilidades de lucro a partir de investimentos controlados, o marketing de conteúdo aparece como uma opção válida também para campanhas políticas de candidatos que procuram por novas alternativas.

A imagem do político pode ser construída e gerenciada no mundo virtual a partir de uma estratégia bem elaborada de marketing de conteúdo. É possível desenvolver uma eficiente estratégia de marketing alinhada aos anseios do público a partir de investimentos relativamente baixos.

Isso, em um momento em que as regras da disputa eleitoral estão sendo alteradas, pode ser o diferencial para o êxito de uma campanha.

Obama: a referência para o trabalho com marketing político on-line

Quando o atual presidente dos Estados Unidos foi eleito pela primeira vez, um dos aspectos de sua campanha que mais chamou a atenção foi sua abordagem em ambiente on-line. Além de se valer dos tradicionais mecanismos de marketing eleitoral, o então candidato trabalhou com as mais diversas possibilidades de divulgação digital para atrair eleitores.

A tática deu certo: Obama tornou-se não somente o presidente do país, mas também uma verdadeira referência em termos de comportamento para a sociedade americana e até mesmo mundial. Mas como ele conseguiu isso? A resposta é simples. A partir de pesquisas aplicadas, Obama conseguiu adaptar suas características pessoais, suas idiossincrasias, àquilo que as pesquisas apontavam como o ideal presidente para o eleitorado norte-americano.

De posse desses dados, Obama usou as ferramentas disponíveis (redes sociais, blogs, e-mail marketing, SMS, entre outros) para engajar milhares de pessoas na sua causa, ou seja, a candidatura de um homem moderno e ao mesmo tempo simples, capaz de resolver os problemas da população por estar mais próximo dela do que os outros candidatos.

Assim, mais do que apoio, Obama conseguiu também importantes doações e mobilizações de grupos que passaram a assumir a linha de frente da campanha do candidato voluntariamente. O resultado foi uma expressiva vitória e uma candidatura que até hoje serve como parâmetro para novos candidatos.

Estratégias de marketing de conteúdo

A partir de três etapas essenciais para qualquer estratégia de marketing, podemos mostrar o potencial do marketing on-line. São elas a pesquisa, o planejamento estratégico e o posicionamento de campanha. Confira:

Pesquisa: a pesquisa permite a você ter um perfil mais alinhado com os anseios da população, além de conhecer melhor os seus adversários, para propor uma imagem mais bem trabalhada em relação a eles nas redes sociais.

Através da pesquisa é possível identificar o perfil do possível eleitor do candidato. Assim, é possível usar as redes sociais para construir um relacionamento mais próximo com pessoas que possuem esse perfil identificado. Trabalhe com uma Fanpage no Facebook, por exemplo, e procure estabelecer um diálogo sincero com seu eleitor.

Planejamento estratégico: é preciso corrigir as falhas e ressaltar as qualidades; sendo assim, adote uma estratégia de comunicação que centralize em sua imagem questões pertinentes para o eleitor.

Nesse caso, tenha um site ou blog onde você trabalhe com temas relevantes para a população e otimize seu texto com técnicas SEO, que vão fazer com que seu conteúdo seja aprimorado de modo a ocupar as primeiras posições nas pesquisas do Google, gerando excelente tráfego para sua página e dando visibilidade à sua causa.

Mas lembre-se: para que essas técnicas funcionem é essencial oferecer conteúdo original e de qualidade.

Posicionamento alinhado à mudança ou continuidade: seja transparente. Seu eleitor tende a dividir candidatos entre aqueles que se posicionam a favor da mudança ou que desejam continuar com a política tradicional.

Seja qual for o seu caso, seja direto. Para tanto, ofereça vídeos explicando quais são suas ideias, trabalhe com ferramentas novas como webinars, por exemplo. Isso será altamente útil para ajudar você a encontrar seu nicho, pois dará espaço para explicar os pormenores de seu projeto.

Reforma eleitoral: uma oportunidade para desenvolver campanhas criativas em ambiente digital

Ainda que sua campanha não possa contar com recursos empresariais de financiamento, é preciso lembrar que as novas tecnologias estão evoluindo cada dia mais para oferecer recursos altamente qualificados para quem quer divulgar uma marca ou até mesmo uma pessoa, através da candidatura.

Assim, o marketing on-line pode ser visto como opção viável para potencializar a campanha, dando visibilidade ao candidato em ambiente on-line.

Sendo assim, não deixe que seus adversários assumam a frente aproveitando os benefícios desse recurso antes de você. Baseie-se em casos de sucesso como o de Barack Obama e garanta maior projeção junto a seu público-alvo, ou seja, o eleitor.

Gostou? Esse artigo foi útil para você? Então não guarde essa informação só pra você compartilhe com seus amigos e familiares essa informação pode ajudar alguém que você conhece a ganhar uma eleição.

Sem títuloJOE

Como a tecnologia pode ser o seu grande diferencial competitivo nas campanhas?

Uma campanha eleitoral não pode mais se restringir às ferramentas tradicionais de divulgação. Assim como acontece com empresas, é necessário considerar o ambiente online dentro de uma estratégia.

Além disso, é preciso também ter atenção especial às possibilidades que os recursos tecnológicos oferecem no sentido de otimizar processos gerando lucro e economia de tempo, o que, no caso de uma campanha política, pode ser entendido como menos gasto no processo e maior eficiência na conquista de eleitores.

Sendo assim, confira a seguir como a tecnologia pode servir como um diferencial competitivo dentro da sua campanha.

O potencial da tecnologia

Redes sociais como o Facebook, por exemplo, possuem grande poder de popularização das mensagens. Isso ocorre porque com mais de 1 bilhão de usuários cadastrados no mundo inteiro, a rede centraliza pessoas dentro de um único site e permite que anunciantes alcancem possíveis consumidores com grande eficiência.

Este recurso, assim como outros exemplos que surgiram para facilitar a vida das pessoas a partir do desenvolvimento da tecnologia, também é útil para diferentes interessados em divulgar sua marca, projeto ou ideia — como é o caso dos políticos.

A tecnologia dentro de uma estratégia de marketing

No marketing, as redes sociais estão cada vez mais ocupando espaço nos investimentos das grandes empresas. Isso acontece porque as pessoas estão passando cada vez mais tempo dentro desses sites, o que permite a grandes marcas ter maiores possibilidades para divulgar seus produtos de maneira certeira em relação ao público-alvo.

Em uma campanha política, o candidato pode seguir o mesmo raciocínio: como os possíveis eleitores tendem a estar online, o candidato que tiver uma postura mais adequada a esse ambiente e conseguir direcionar sua mensagem de maneira pertinente para o eleitor, tende a levar vantagem e garantir seu apoio.

Tecnologia da informação

Para atingir esse grau de proximidade, a tecnologia pode ser extremamente útil. Com um volume relevante de informação sobre o eleitorado, é possível entender com maior facilidade a sua demanda. Chamamos isso de Inteligência Competitiva (IC) — a atividade sistemática destinada à coleta de dados, análise e aplicação de informações relacionadas à concorrência, assim como à monitoração de tudo o que envolve o sistema onde ocorre a competição.

Com o uso desse tipo de recurso, o candidato pode chegar com muito mais eficiência ao eleitor do que seu concorrente, algo capaz de fazer toda a diferença dentro de uma campanha.

Seja para espalhar a imagem do candidato em ambiente digital de modo a viralizar suas ideias, seja para tornar os procedimentos mais econômicos e eficientes, a tecnologia pode ser o diferencial competitivo dentro de uma bem-sucedida campanha eleitoral.

Não deixe que seus concorrentes levem vantagem em relação a você. Pense nas oportunidades que os novos recursos oferecem e trabalhe com eles para garantir melhores resultados. Com elementos cada vez mais populares entre os eleitores à sua disposição, fica mais fácil trabalhar na sua campanha e ter sucesso!

Você já usa a tecnologia para alcançar sucesso nas campanhas políticas? Compartilhe as suas sugestões no espaço de comentários! Não guarde essa informação só pra você, compartilhe com seus amigos e familiares, essa informação pode ajudar alguém a ganhar a eleição.

Sem títuloJOE

MMN: Como utilizar o marketing multinível para sua campanha.

Marketing multinível é um tema que sempre gera discussão: enquanto alguns acreditam piamente no poder desse modelo de negócios, outros desdenham a capacidade do MMN de gerar bons frutos. E você, acredita que o marketing multinível pode ser uma boa forma de fazer com que seus esforços de campanha se multipliquem?

Parece meio estranho pensar no MMN aplicado a campanhas políticas, mas sim, é possível tirar bons ensinamentos dele. Então que tal entendermos de uma vez por todas o que é marketing multinível e como ele pode ajudar suas campanhas políticas?

Marketing multinível é pirâmide?

Não. A confusão entre MMN e pirâmide é bastante comum e a principal causadora da má fama do marketing multinível. Para que fique claro, MMN é um modelo de negócio baseado em vendas diretas, ou seja, o produto ou serviço sai do fabricante diretamente para a mão do consumidor, por intermédio de um representante independente.

A divulgação dos produtos e serviços é feita no boca a boca, ou seja, não há grandes investimentos em marketing e publicidade, mas sim na ampliação da rede de distribuidores, para que os produtos e serviços tenham maior penetração no mercado.

Para você ter uma ideia do sucesso desse modelo de negócio, atualmente ele emprega mais de 4 milhões de pessoas no Brasil e gera um faturamento de 14 bilhões de dólares. Ou seja, os resultados estão aí para quem quiser ver.

E a remuneração dos distribuidores, como é feita? Eles são remunerados pela venda de produtos e serviços e recebem bônus pela indicação de novos representantes, daí a denominação “multinível”. É exatamente aqui que o MMN se difere das pirâmides, pois ele oferece produtos reais, que geram valor para o consumidor, enquanto nas pirâmides, o principal objetivo é agregar mais e mais pessoas para que os que estão no topo da lista ganhem mais dinheiro.

Como funciona o MMN na prática?

De uma maneira simples, o marketing multinível funciona da seguinte forma: o distribuidor independente entra em contato com a empresa que fornece os produtos ou serviços e filia-se a ela, adquirindo um “pacote básico” de produtos ou serviços a serem distribuídos.

Então esse distribuidor contata sua rede de conhecidos e oferece esses produtos ou serviços, mostrando as vantagens deles. Ao mesmo tempo que faz a distribuição dos produtos e serviços, ele também identifica pessoas que poderiam se tornar novos distribuidores, com o objetivo de ampliar a rede de distribuição e com isso gerar mais negócios.

Além da comissão recebida pela venda dos produtos e serviços, o distribuidor recebe bônus, vantagens, gratificações e outros benefícios por criar comunidades de distribuidores, que serão treinados e orientados por ele para que também consigam ter o mesmo sucesso.

Por que o MMN falha em alguns casos?

Existem muitas pessoas que afirmam que o MMN gera dinheiro como água, que você não precisa se dedicar tanto, que os ganhos vêm facilmente, o que ilude outros empreendedores e acarreta no fracasso do modelo de negócio.

Para ter sucesso no marketing multinível, é preciso investir em marketing, na divulgação do produto e na construção de uma boa reputação para você como distribuidor. Também é necessário que você esteja sempre presente em eventos, confraternizações e outras oportunidades para conhecer pessoas e com isso ampliar seu networking, afinal, MMN é boca a boca, e dos bons.

Só que boa parte das pessoas não faz esses investimentos e espera gerar lucratividade sem estruturar o negócio de verdade. Pensam que basta criar um site, um blog, e esperar que as coisas aconteçam, mas não fazem um bom planejamento de marketing digital, por exemplo.

Moral da história? Marketing multinível é um negócio como qualquer outro, precisa de planejamento, objetivos de curto, médio e longo prazos, monitoramento constante e processos de melhoria contínua.

Como aplicar o marketing multinível na minha campanha?

Agora que você já sabe o que é marketing multinível, como funciona e por que algumas pessoas fracassam, chegou a hora de saber como usá-lo a seu favor em campanhas políticas. Não, você não vai vender nenhum produto para arrecadar dinheiro para a campanha, vai utilizar as melhores práticas para chegar ao seu objetivo final. Veja quais são elas:

Defina seus objetivos e metas

Toda campanha política deve ter objetivos bem claros, como aumentar a visibilidade das ações do político, ganhar a simpatia dos eleitores, conquistar mais intenções de voto, etc. Determinado o objetivo, você defina as metas, como: aumentar a base de eleitores em 15% no próximo ano ou elevar as intenções de voto em 30% nos próximos 6 meses.

Trace seu plano de ação

O que você fará para atingir essas metas e com isso conquistar seu objetivo maior? Irá investir em marketing digital? Em eventos que contem com a presença dos eleitores? Em visitas domiciliares para conhecer a realidade da população? A cada ação você deve atrelar uma métrica, ou seja, uma forma de mensurar o sucesso da iniciativa.

Inspire-se em pessoas de sucesso

Para o MMN dar certo, as pessoas têm que se inspirar em casos de sucesso, de outras pessoas que se deram bem com essa atividade. Para tanto, seguem seus passos, estudam suas estratégias, agem de forma semelhante e buscam aprimorar aquilo que já foi implementado.

O mesmo acontece em campanhas políticas e eleitorais. Para ter sucesso, inspire-se nos grandes nomes, veja o que eles fizeram e fazem, como se comportam, como reagem a determinadas situações, e aprenda com eles.

Tenha um mentor

No marketing multinível cada distribuidor tem um mentor, aquele que o recrutou para o negócio. Esse mentor tem a missão de treinar, orientar, dar dicas e ajudar os distribuidores que recrutou a terem o mesmo sucesso que ele.

Se você quer ter sucesso em suas campanhas, busque um profissional que possa ser o seu mentor, que mostre opções, que dê conselhos, que tenha mais experiência que você e possa passar seus ensinamentos para que você conquiste seus objetivos com mais tranquilidade.

Construa um bom networking

Quanto mais pessoas você conhecer, mais chances de espalhar a mensagem das suas campanhas por aí. Amplie seus contatos, resgate amigos, conhecidos e contatos profissionais com os quais não fala há algum tempo. Convide-os para eventos e converse com eles. Mostre suas boas intenções, atraia e engaje essas pessoas às suas campanhas, criando uma rede de distribuidores para sua palavra.

Capacite-se para ser o melhor

Ninguém nasce sabendo tudo e, quanto mais aprendemos, mais temos a aprender. Sendo assim, busque capacitação em gestão, relacionamento, negociação, planejamento estratégico e outros temas que possam melhorar sua performance como coordenador de campanha. Faça uma autoavaliação e identifique seus gaps de competência, criando um plano de desenvolvimento profissional para si mesmo. Quais conhecimentos você precisa adquirir para se tornar ainda melhor no que faz?

Você já havia pensado em utilizar o MMN como estratégia para melhorar suas campanhas? Ficou interessado em obter mais dicas como essa? Então acompanhe nossa página do Facebook e veja as atualizações direto na sua timeline!

Sem títuloJOE

Fonte:Marketing Político Digital

COMO ENCONTRAR AS PALAVRAS-CHAVE PERFEITAS PARA SEUS ARTIGOS.

Por que alguns artigos conseguem conquistar rapidamente o primeiro lugar nas páginas de busca do Google enquanto outros estão fadados ao esquecimento?

Qual a diferença primordial entre um artigo que atrai mais de 10 mil acessos orgânicos e outro que não consegue atrair nem 20 visitas?

Primeiro a qualidade do conteúdo, que importa e muito na hora de ranquear. Mas só um texto memorável não é garantia de sucesso.

Outro fator, é a autoridade do seu site ou blog. Principalmente se você está no começo da jornada, sua autoridade será bem menor do que a de seus concorrentes que estão no mesmo nicho há mais tempo. E por isso, mesmo que seu conteúdo seja melhor, você tenha escolhido o melhor título e uma introdução irresistível, ficará difícil ranquear nas primeiras posições.

O número de links externos relevantes apontando seu conteúdo também ajudam na hora de avaliar a qualidade e a autoridade.

E por fim, a escolha da ou das palavra(s)-chave ideal(is) do seu artigo.

E é nesse ponto que muitos cometem erros graves. Ou pior, sequer lembram que precisam ter um ou mais termos bem definidos e trabalhados ao longo do texto para alcançar resultados expressivos.

O tráfego orgânico é aquele que vai exigir mais trabalho, paciência e criatividade de você, mas também é aquele que será crescente e duradouro, desde que haja consistência na entrega de artigos de qualidade.

Como fazemos as pesquisas de palavras-chave no Josef de Souza Marketing Total.Palavra-chave-Imagem-11

Antes de procurar pelo volume de buscas de determinados termos, você precisa definir quais são essas palavras que pretende usar.

A lista com as palavras-chave relacionadas a seu negócio, site ou blog, que fará parte de sua estratégia, já pode dar vários insights para seu conteúdo.

Outra maneira de descobrir potenciais palavras-chave, é prestar atenção às palavras relacionadas ao termo pesquisado, mostrado no final da página do Google.

1 captura de tela palavras-chave

Neste nosso exemplo, fizemos uma pesquisa pelo termo “tráfego orgânico” e o Google fez algumas sugestões de palavras relacionadas, baseadas em pesquisas feitas por usuários.

Ainda sem ideias do que escrever? Quando vamos produzir um novo artigo, infográfico ou eBook também procuramos por inspirações em outros sites do mesmo nicho e analisamos os posts mais populares.

Você pode até encontrar novas tendências que ainda não estão sendo abordados no Brasil com tanta relevância e por isso nem sequer apresentam volumes de buscas significativos ainda.

Feita essa triagem inicial, você certamente já terá uma ideia do assunto que deseja abordar e está pronto(a) para finalmente começar a pesquisar pelo volume de palavras-chave.

A ferramenta mais utilizada para esta tarefa é o Google Keyword Planner, que não só sugere termos relacionados à palavra que você está buscando ranquear, como também o volume de buscas e prevê o custo de por clique caso você queira fazer um anúncio usando aquela palavra.

Outra ferramenta gratuita que pode ser utilizada para entender variação no volume de buscas por uma palavra ao longo do tempo é o Google Trends.

O interesse ao longo do tempo (e a previsão futura) mostrada pelo Google Trends aliada com a demanda mensal do Keyword Planner são o pontapé inicial que você precisa para selecionar opções de palavras-chave para seu artigo.

Porém, essa é uma parte de pesquisa inicial de SEO.

Não basta fazer a pesquisa, a parte analítica do processo é ainda mais importante para o seu conteúdo feito de acordo com seu plano de marketing digital.

Como fazer a análise de palavras-chave obtidas na pesquisa inicial.Palavra-chave-Imagem-12

Os números mostrados pelo Google Keyword Planner e pelo Google Trends servem basicamente para descobrimos se há interesse pelo assunto por parte dos usuários.

No entanto, só este dado, isolado, não nos dá uma ideia do cenário que iremos enfrentar.

Outra preocupação que você precisa ter é de conhecer a dificuldade de ranqueamento de uma palavra-chave, dado que pode ser obtido através de MOZ Bar instalada no seu browser.

Também avalie quem são os sites que estão ocupando a primeira página do Google.

Se são grandes portais de notícia ou de grandes empresas, você precisa saber que a briga não será justa para seu lado.

Você pode avaliar a autoridade de seus concorrentes através do Page Autorithy e do Domain Authority em comparação ao seu para decidir se existe chances de ganhar esta disputa.

Faça essa pesquisa com a MOZ Bar no navegador em modo anônimo para não interferir nos resultados obtidos.

Para analisar, montamos uma planilha com as palavras-chave selecionadas e os seguintes dados:

  • Número de pesquisas mensais (dado Keyword Planner)

  • Competição (dado Keyword Planner)

  • Dificuldade (MOZ Bar)

  • Page Authority (PA na MOZ Bar)

  • Domain Authority (DA na MOZ Bar)

  • Número total de links apontando para a página (somente conta paga MOZ)

  • Número total de domínios com links apontando para a página (somente conta paga MOZ)

A análise será feita de forma subjetiva e baseada no seu conhecimento do mercado em que você atua.

Não existe um número mínimo de buscas mensais para um termo, então apenas use o seu bom senso, tendo em mente que você não irá conseguir atrair o número total do volume de buscas.

Portanto, se este for muito baixo você corre o risco de não receber quase nada de tráfego.

O mesmo vale para competitividade e dificuldade de ranquear para aquela palavra-chave. Existem mercados que são altamente competitivos e todos os termos apresentarão números altos de dificuldade.

Sua análise nunca deve ser superficial ao ponto de considerar apenas o volume de buscas por um termo, pois sozinho este dado não representa a realidade.

DESCUBRA QUAIS AS PALAVRAS-CHAVE QUE JÁ TRAZEM TRÁFEGO PARA SEU BLOG.Palavra-chave-Imagem-13

Se o seu blog possui pelo menos alguns meses de vida, suponho que você já esteja usando o Google Analytics para rastrear seu número de visitas e pageviews.

Mas nem só para isso serve o Analytics. Com ele, você também pode descobrir quais palavras-chave já estão levando tráfego para seu blog.

Para isso, faça a integração entre o Google Analytics e o Google Search Console. Na coluna à esquerda, procure por “Search Console” e depois “Consultas”.

Você vai descobrir que nem sempre as palavras-chave que buscamos ranquear são as que estão, de fato, trazendo tráfego para seu blog.

Por exemplo, veja as dez palavras que mais trouxeram visitas para o Viver de Blog no último mês:

2 captura de tela palavras chave

Algumas foram propositadamente usadas em artigos, como “procrastinação” e “como ganhar dinheiro online”, porém alguns outros termos como introdução, texto e procrastinar não foram nossos principais focos e ainda assim trazem bastante tráfego para o blog.

Não aposte somente no poder das palavras-chave para ranquear seu conteúdo no Google. Uma boa estratégia de Link Building pode fazer com que você saia muito à frente da sua concorrência.

CONCLUSÃO: ESTEJA ATENTO A TODAS AS OPORTUNIDADESPalavra-chave-Imagem-14

Saber quais termos já estão trazendo um bom número de visitas pode servir para descobrir boas fontes de tráfego e possíveis palavras-chave que estão sendo subaproveitadas.

Já existe um interesse de sua audiência e o Google já entendeu que seu blog tem material adequado para o termo. Se você ainda não tiver um conteúdo sobre o assunto, eis uma oportunidade.

Recentemente verificamos que o termo “persuasão” trazia muitos acessos para o Viver de Blog, porém não havia nenhum conteúdo feito especialmente para essa palavra-chave.

Um público interessado já estava procurando pelo tema e caindo no Viver de Blog, porém sem achar um conteúdo 100% focado no assunto.

Ao perceber um interessante volume de pesquisas sobre o persuasão no Keyword Planner, fizemos este artigo aqui, totalmente voltado para ranqueamento e que já está gerando bons resultados.

As suas chances de ranquear bem para uma palavra-chave são muitas, você só precisa se manter atento às constantes mudanças de algoritmo do Google e principalmente focar no mais importante para um produtor de conteúdo: a qualidade daquilo que você entrega à seu público.

Gostou? Então curta e compartilhe com seus amigos e familiares esse post, ele pode ajudar alguém a se destacar nas pesquisas do google.

Sem títuloJOE

INFOGRÁFICO: 80 ERROS GRAMATICAIS QUE FAZEM VOCÊ PARECER UM IDIOTA.

Print

Gostou? Se esse post te ajudou curta e compartilhe com seus amigos e familiares esse post pode ajudar alguém a não cometer esse erros no futuro.

Sem títuloJOE